contato@cryogases.com.br (11) 4732-7105 / 4732-7113

Dados Técnicos do Produto:
Propriedades:

O Hélio é um gás incolor, inodoro, não reativo, inerte, comprimido a altas pressões. Atua como asfixiante por deslocamento do ar atmosférico. Está presente no ar atmosférico na ordem de 5 ppm em volume.
Peso molecular: 4,00 g/mol
Densidade relativa: 0,1382 (ar=1) a 21 °C
Temperatura crítica: -267,9 °C
Pressão Crítica: 2,34 kgf/cm2 abs.
Volume específico: 6,04 m3/kg
Ponto de ebulição: -268,9 °C
Ponto de congelamento: -271,3 °C
Massa Específica a 21 °C e 1 atm: 0,165 kg/m3
Características:
Risco principal: alta pressão e sufocação
Toxidez: simples asfixiante
Potencial de inflamabilidade: não é inflamável
Odor: inodoro
Efeitos:
• Exposições a níveis toleráveis, mesmo que rotineiras, não causam efeitos nocivos;
• Não carcinogênico;
• Não causa efeitos ao meio ambiente.
Exposições e primeiros-socorros
Características de risco

O Hélio é um gás asfixiante, pois desloca o oxigênio do ar, que está em sua concentração no ar atmosférico de 20,95%. O aumento da concentração do Hélio em um ambiente provoca a queda da concentração de oxigênio. Se essa queda chegar a 16% ou menos, pode causar distúrbios da coordenação motora e acelerar o pulso e a frequência respiratória. Ao chegar a 14% o indivíduo sente-se cansado, com dificuldade para respirar e tontura. Com 10% sente náuseas, pode perder a consciência e sentir dificuldade para gritar ou se movimentar. Se cair para 6% o indivíduo convulsiona e tem parada respiratória, minutos depois tem parada cardíaca e morre.
Primeiros-socorros:
Levar o indivíduo a um local arejado. Em caso de parada respiratória, proceder com respiração artificial ou boca-a-boca; consultar um médico se houver dificuldade para respirar, fazê-lo imediatamente.
Se houver contato com os olhos, lavar abundantemente com água e retirar lentes de contato se forem o caso. Consultar um médico.
Equipamentos de Proteção Individual:
• Óculos e calçados de segurança;
• Roupas de algodão;
• Luvas de acordo com a tarefa.
Combate a incêndios:
O Hélio não é um produto inflamável. Em caso de incêndio, retire todo o pessoal do local. Resfrie o cilindro por 30 minutos com água em forma de neblina, protegidos atrás de paredes. No caso de incidência de chamas, não se aproxime do cilindro, há risco de explosão. No caso de cilindros aquecidos, contatar os bombeiros, pois há risco de explosão, resfriar os cilindros por 24 horas, sempre protegido por EPI’s e a uma distância segura.
Controle de vazamentos:
No caso de vazamento, retirar todo o pessoal do local e interromper o vazamento, se essa medida não apresentar risco.
Ventile o local e leve o cilindro para um local aberto ou ventilado. Antes de permitir a entrada do pessoal ao local, verificar se o local foi bem ventilado e se há oxigenação suficiente.
Aplicações:
O hélio, usado também nos balões dirigíveis, hoje é empregado, assim como o Argônio, na obtenção de uma atmosfera gasosa inerte, durante a soldagem de magnésio, alumínio, titânio e aço inoxidável. Terá provavelmente futuro no arrefecimento dos reatores atômicos como meio de transferência de calor, uma vez que é inerte e que não se torna ativo durante a irradiação.
É também usado, misturado com o oxigênio, no tratamento da asma, porque se difunde mais rapidamente do que o ar nos canais apertados dos pulmões. Usa-se uma mistura semelhante para os mergulhadores de grande profundidade porque o hélio  não provoca a síndrome por descompressão (embolia gasosa), saindo em bolhas no sangue quando a pressão diminui. 
O hélio é, ainda, um gás adequado nos termômetros de gás de baixas temperaturas, dado o seu baixo ponto de ebulição e o seu comportamento quase ideal.